Involuntários da Pátria

Fernanda Silva e Sonia Sobral

FOTO_ENSAIO (3).jpg
SINOPSE:
Na margem do Rio Parnaíba, Sonia lhe ofereceu o texto e Fernanda o devorou feito canibal. Performer e representante de tantos involuntários da pátria, ela movimenta as palavras de Eduardo Viveiros de Castro em todas as direções, criando significados com seu corpo e voz para o texto do antropólogo sobre a guerra em curso contra os indígenas do Brasil. Assim a histórica aula pública de Viveiros de Castro se transformou no gesto político-poético de Sonia e Fernanda.
FICHA TÉCNICA:
Concepção, Criação, Direção: Sonia Sobral
Criação e Performance: Fernanda Silva
Texto: Eduardo Viveiros de Castro | Série Pandemia, N-1 edições
Realização: Campo Gestão e Criação em Arte Contemporânea
 
DURAÇÃO: 30 minutos 
CLASSIFICAÇÃO: livre